terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

As Mãos




Com mãos se faz a paz se faz a guerra.
Com mãos tudo se faz e se desfaz.
Com mãos se faz o poema - e são de terra.
Com mãos se faz a guerra - e são a paz.

Com mãos se rasga o mar. Com mãos se lavra.
Não são de pedras estas casas, mas
de mãos. E estão no fruto e na palavra
as mãos que são o canto e são as armas.

E cravam-se no tempo como farpas
as mãos que vês nas coisas transformadas.
Folhas que vão no vento: verdes harpas.

De mãos é cada flor, cada cidade.
Ninguém pode vencer estas espadas:
nas tuas mãos começa a liberdade.


Manuel Alegre

*

Fonte: Jornal da Poesia
(Galeria de pinduricos – Flickr
Formatação rosangela_aliberti)

3 Comentários:

Às 22 de fevereiro de 2009 05:30 , Blogger Efigênia Coutinho disse...

Olá, retorno ao seu espaço, onde leio boa poesia, gratificante, e convido as minhas novas postagens aos meus blogs, com admiração,
Efigênia Coutinho

 
Às 8 de março de 2009 03:25 , Blogger Alice Matos disse...

Um dos meus poemas favoritos... de um poeta a ler e reler...

Beijos...

 
Às 1 de maio de 2009 13:22 , Blogger Alice Matos disse...

Passei para saber novidades...

Beijo para ti...

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial